link

27/03/2017

Como sem-teto superou 9 overdoses de heroína e se transformou em magnata do suco. Infância problemática, coragem e determinaçãos e outros requisitos!!!


Como sem-teto superou 9 overdoses de heroína e se transformou em magnata do suco. Infância problemática, coragem e determinaçãos e outros requisitos!!!

Khalil Rafati deu volta por cima após mergulhar no trabalho - e montou império de comida saudável.
Khalil Rafati superou o vício em drogas, ficou milionário e agora só viaja em seu jatinho privado (Foto: Khalil Rafati/Arquivo pessoal/BBC )

Enquanto Khalil Rafati sofria sua nona overdose por uso de heroína, paramédicos tentavam freneticamente salvá-lo da morte.

Viciado em drogas que dormia nas ruas de Los Angeles, nos Estados Unidos, ele conseguiu recobrar a consciência depois que a equipe médica usou um desfibrilador - aparelho que gera uma descarga elétrica no coração para interromper uma parada cardíaca.

O episódio aconteceu em 2003, quando Rafati tinha 33 anos. Também dependente de cocaína, ele pesava 49 kg. Sua pele estava coberta de úlceras.

"Fui preso mais vezes do que consigo lembrar (por crimes relacionados a drogas)", diz. "Eu estava completamente confuso… sentia sempre muita dor, não conseguia dormir."

Embora tenha tentado se livrar das drogas antes disso, Rafati conta que apenas depois de sua nona overdose percebeu que precisava mudar de vida - caso contrário, morreria.

Ele então passou quatro meses em um centro de reabilitação - e está "limpo" desde então.

E Rafati não apenas se afastou das drogas, mas também se tornou um empresário de sucesso.
Empresa especializou-se em sucos (Foto: Sunlife Organics/Divulgação/BBC)

O ex-dependente químico enveredou-se pelo ramo de comida saudável: criou a marca Sunlife Organics, sediada na Califórnia, e, por causa dela, ficou milionário.

As receitas anuais superiores a US$ 6 milhões (R$ 18,7 milhões) vêm das seis lojas físicas - que vendem de sucos a cafés, além da linha de roupas da empresa - e do site. Rafati planeja ainda levar a companhia a outros 16 Estados americanos e ao Japão.

Hoje, aos 46 anos, está acostumado a viajar em um jato privado. Para isso, porém, foi necessário pavimentar um longo caminho desde os dias em que dormia nas ruas.

Infância problemática

A história de Rafati daria um filme de Hollywood.

Nascido em Ohio, no meio-oeste americano, ele é filho de uma mãe judia polonesa e um pai muçulmano.

Com uma infância problemática, acabou saindo da escola sem nenhuma qualificação e acabou preso por vandalismo e roubo.

Em 1992, aos 21 anos, ele se mudou para Los Angeles com o sonho de se tornar uma estrela do cinema.

Enquanto sua carreira não decolava, Rafati começou a tocar em bandas locais e conseguiu viver confortavelmente ao lavar carros de estrelas de Hollywood como Elizabeth Taylor e Jeff Bridges, além do guitarrista do Guns N' Roses Slash.
Rafati teve nove overdoses de heroína (Foto: Khalil Rafati/Arquivo pessoal/BBC )

Apesar disso, rapidamente caiu no mundo das drogas. Sua vida saiu do controle: Rafati acabou dormindo dentro de caixas de papelão na companhia de outros dependentes químicos e começou a traficar entorpecentes para financiar seu vício.

Mas depois da nona overdose sua vida mudou completamente. Ele conseguiu abandonar as drogas ao conseguir vários trabalhos - por causa disso, não tinha nem tempo de pensar em se drogar, diz.

Além disso, começou a trabalhar em dois centros de reabilitação em Malibu (Califórnia) lavando carros, passeando com cachorros e fazendo jardinagem.

"Consegui economizar dinheiro", conta. "Trabalhei duro, sete dias por semana, 16 horas por dia."

Depois de ter encontrar um amigo de longa data de Ohio, Rafati ficou obcecado em fazer seus próprios sucos com frutas, legumes e verduras.

"Ele era meio hippie, e começou a me ensinar sobre vitaminas, comida orgânica, superalimentos", diz. "Naquele momento, eu estava buscando qualquer coisa que fizesse me sentir melhor."

Em 2007, Rafati alugou uma casa e abriu seu próprio centro de reabilitação, o Riviera Recovery, para clientes que podiam pagar até US$ 10 mil (R$ 31,2 mil).

Para esses hóspedes, Rafati fazia misturas exóticas de sucos, como a que chamou de Wolverine - uma combinação de banana, pó de maca peruana (um tipo de tubérculo), geleia real e pólen.

A fama dessas bebidas se espalhou rapidamente para além dos muros do centro de reabilitação - e ele começou a angariar novos clientes.

Percebendo que havia demanda suficiente para um negócio paralelo, Rafati lançou em 2011 a Sunlife Organics, ao lado de seu melhor amigo e sua então namorada.

A primeira loja foi aberta em Malibu, financiada com suas próprias economias. O empresário diz que foi um sucesso instantâneo, com receita de US$ 1 milhão (R$ 3,1 milhões) no primeiro ano.

Hoje, o negócio emprega mais de 200 pessoas em seis lojas físicas. Além dos sucos, a empresa vende comida e roupas como camisetas e casacos.

Coragem e determinação

Para Rob Nazara, analista do Deutsche Bank em Nova York, a história de Rafati mostra sua força de caráter.

"Não importa o seu nível educacional ou profissional, o sucesso de um empreendedor é movido por coragem, determinação e ambição", diz.
Rafati quer expandir empresa para 16 Estados americanos e para o Japão (Foto: Sunlife Organics/Divulgação/BBC)

Além da Sunlife Organics, Rafati ainda administra a Riviera Recovery e é dono de um estúdio de ioga em Malibu.

Ele também escreveu sua autobiografia, I Forgot To Die ("Esqueci de morrer", em tradução livre), que foi publicada em 2015.

"Não me considero superinteligente", diz. "Mas tenho fome pela vida, e me dedico 100% a tudo o que decido fazer."
Khalil Rafati lançou sua autobiografia em 2015 (Foto: Khalil Rafati/Arquivo pessoal/BBC)

Em súmula, árbitro de Flamengo x Vasco relata 'desequilíbrio' após contato com Luis Fabiano. Confira a Súmula!!!


Em súmula, árbitro de Flamengo x Vasco relata 'desequilíbrio' após contato com Luis Fabiano. Confira a Súmula!!!
Luis Antônio Silva dos Santos foi afastado pela federação carioca após o clássico.
Árbitro alegou ter se desequilibrado no lance da expulsão de Luis Fabiano (Crédito: Esporte Interativo)

Figura central do último clássico entre Flamengo e Vasco, o árbitro Luis Antonio Silva Santos, o Índio, relatou na súmula da partida que se desequilibrou após contato com Luis Fabiano, que foi expulso no lance. Afastado pela Federação de Futebol do Rio de Janeiro, Índio revelou que foi insultado pelo atacante cruz-maltino, sendo chamado de “moleque, safado, mal intencionado”.

Confira a súmula do árbitro:

Aos 53 min do 2º tempo, expulsei o sr. Luís Fabiano Clemente (Vasco, nº 9), pois após aplicação de um cartão amarelo decorrente de uma falta que o mesmo fez no sr. Márcio Rodrigues Araújo (Flamengo, nº 8), na intermediária do campo de defesa do Vasco, onde o mesmo calçou seu adversário quando este partia para o ataque.

De forma acintosa, o sr. Luís Fabiano Clemente partiu para cima de mim me afrontando, enquanto ainda erguia com o braço direito o cartão amarelo. No susto, com sua atitude, ainda tentei dar um passo para trás a fim de evitar contato, mas ainda assim o jogador vem para cima, tocando o seu peito no meu, me levando ao desequilíbrio.

Ainda tive que usar os braços para evitar ir ao chão. Após essa atitude desrespeitosa e agressiva, apliquei o cartão vermelho direto. Após me recompor, fui cercado por alguns jogadores do Vasco. O jogador expulso continuou afrontando, colocando os dois dedos junto ao meu rosto, intimidando e dizendo: “Você é moleque, safado, mal intencionado…”. O jogador do Vasco, sr. André Luiz Tavares (Nº 7) insistentemente segurava seu companheiro, tentando afastá-lo, mas ele ainda vinha por trás, pela frente, dava voltas até se afastar e no momento de saída do campo batendo palmas ainda foi segurado pelo técnico, que tentava contê-lo e acalmá-lo”.

Em Natal homem tenta salva tartaruga presa nas pedras e acaba se afogando!!!

    Em Natal homem tenta salva tartaruga presa nas pedras e acaba se afogando!!!

O Helicóptero Potiguar 01 da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) foi acionado na manhã deste domingo (26) para retirar do mar o corpo de homem ainda não identificado que havia se afogado na Praia do Meio, em Natal. Segundo informações o mesmo teria tentado retirar uma tartaruga das pedras quando se afogou.

Uma equipe do ITEP é aguardada no local para realizar os procedimentos de praxe.
INFORMATIVO ATITUDE

Triste: Torcedor do São Paulo morre ao cair do anel superior do Morumbi!!!

 Triste: Torcedor do São Paulo morre ao cair do anel superior do Morumbi!!!
O torcedor são-paulino Bruno Pereira da Silva, de Pindamonhangaba, morreu após cair do terceiro andar, o anel superior do Morumbi, antes do jogo contra o Corinthians, neste domingo, pelo Campeonato Paulista. Ele tentava trocar de setor, passando por uma divisória. A vítima sofreu ferimentos na cabeça e fratura exposta em uma das pernas. Ainda no estádio, Bruno recebeu massagem cardíaca – antes de ser levado ao Hospital Municipal do Campo Limpo em uma ambulância (vídeo acima). Lá, sua morte foi confirmada. Ele já chegou ao local sem vida.
Dois amigos de Bruno foram ao 89º DP para registrar o Boletim de Ocorrência da morte. Um tio está indo de Pindamonhangaba para São Paulo.

Inicialmente, o São Paulo informara que se tratava de um vendedor ambulante. Mas pessoas presentes no estádio disseram que era um torcedor.

Ele viajou a São Paulo com um grupo de amigos de Pindamonhangaba – que o acompanharam ao hospital depois. Segundo relatos, alguns deles tentaram impedi-lo de tentar pular a divisória – sem sucesso. O grupo sempre costumava ir a jogos no Morumbi, mas era a primeira vez de Bruno. Ele jamais havia ido ao estádio do time do coração.
O Corinthians divulgou mensagem de pesar logo após a partida, que terminou 1 a 1.
Globo Esporte

HOJE OS NOSSOS PARABÉNS VAI PARA MINHA IRMÃ, AMIGA JOELMA DE PAULO DE GONZAGA!!!!

HOJE OS NOSSOS PARABÉNS VAI PARA MINHA IRMÃ, AMIGA JOELMA DE PAULO DE GONZAGA!!!!
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e tabela
Quantas vezes Deus converteu seu pranto em alegria, Ele faz maravilhas em sua vida, porque você é fiel.

Não tenha dúvidas de que o anjo do Senhor acampa ao seu redor. Não tenha dúvidas, que o Senhor está sempre perto de você, porque você tem o coração quebrantado, e eu estou muito feliz, por fazer parte da sua vida e poder te abraçar neste dia de festa e alegria. continue assim.

Deus se agrada de filhos como você, Muitos anos de vida, você merece ser feliz e ver seus sonhos realizados.

Parabéns e feliz aniversário minha irmã.
São os Sinceros votos de Renilson, Vívia e familia...

Evangelho do Dia: (Jo 4,43-54) - segunda-feira, 27 de março de 2017!!!

 Evangelho do Dia: (Jo 4,43-54) - segunda-feira, 27 de março de 2017!!!
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus partiu da Samaria para a Galileia. O próprio Jesus tinha declarado, que um profeta não é honrado na sua própria terra. Quando então chegou à Galileia, os galileus receberam-no bem, porque tinham visto tudo o que Jesus havia feito em Jerusalém, durante a festa. Pois também eles tinham ido à festa. Assim, Jesus voltou para Caná da Galileia, onde havia transformado água em vinho.

Havia em Cafarnaum um fun­cionário do rei que tinha um filho doente. Ouviu dizer que Jesus tinha vindo da Judeia para a Galileia. Ele saiu ao seu encontro e pediu-lhe que fosse a Cafarnaum curar seu filho, que estava morrendo. Jesus disse-lhe: “Se não virdes sinais e prodígios, não acreditais”. O funcionário do rei disse: “Senhor, desce, antes que meu filho morra!” Jesus lhe disse: “Podes ir, teu filho está vivo”. O homem acreditou na palavra de Jesus e foi embora.´

Enquanto descia para Ca­farnaum, seus empregados foram ao seu encontro, dizendo que o seu filho estava vivo. O funcionário perguntou a que horas o menino tinha melhorado. Eles responderam: “A febre desapareceu, ontem, pela uma da tarde”. O pai verificou que tinha sido exatamente na mesma hora em que Jesus lhe havia dito: “Teu filho está vivo”. Então, ele abraçou a fé, juntamente com toda a sua família. Esse foi o segundo sinal de Jesus. Realizou-o quando voltou da Judeia para a Galileia.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

FOTOS: Uma foto de um presidente com uma modelo sem calcinha que quase provoca um golpe no Brasil!!!

 FOTOS: Uma foto de um presidente com uma modelo sem calcinha que quase provoca um golpe no Brasil!!!


Por JOSIAS DE SOUZA:

Num instante em que o valor do político brasileiro é medido pela quantidade de mochilas que ele recebeu da Odebrecht num cabaré, é interessante recordar que houve no Brasil um presidente atípico. Chamava-se Itamar Franco. A exemplo de Michel Temer, foi uma espécie de interlúdio entre um impeachment e a eleição seguinte. Balançou no cargo. Quase caiu. Mas o escândalo que estremeceu sua autoridade foi causado não por propinas ou desvios milionários de verbas públicas, mas por uma calcinha. Ou, por outra, o cargo de Itamar esteve por um fio em função da falta de uma calcinha. Fernando Henrique Cardoso desenterrou o caso no seu novo livro, o terceiro volume da série Diários da Presidência, que acaba de chegar às prateleiras.

A encrenca nasceu no Carnaval de 1994. Acompanhado de um séquito de auxiliares, Itamar foi ao Sambódromo, no Rio de Janeiro. Desimpedido, derreteu-se por Lilian Ramos, uma modelo que exibira suas formas no desfile da Escola de Samba Grande Rio. Olha daqui, repara dali, a foliã foi parar no camarote presidencial, ao lado de Itamar. Vestia apenas um camisão, que lhe recobria desde as formas do torso até o início das coxas. No mais, estava como viera ao mundo. Desavisado, Itamar deixou-se fotografar, de baixo para cima, ao lado da genitália desnuda de sua acompanhante. As imagens correram o noticiário. Seguiu-se em Brasília um estrépito mais forte do que o barulho de todas as baterias que haviam soado na avenida.

Ministro da Fazenda de Itamar, FHC conta que foi procurado pelo general Romildo Canhim, então ministro da Administração. Falando em nome dos comandantes militares, Canhim queria saber se o interlocutor toparia permanecer à frente da pasta onde se costurava o Plano Real na hipótese de Itamar ser afastado da Presidência da República. “Eu disse ao Canhim que não, que nem um dia”, escreveu o grão-tucano no seu livro. As memórias de FHC resultam de uma coleção de segredos e impressões que ele ditou para um gravador ao longo dos oito anos de sua presidência. No caso da crise da calcinha FHC foi econômico nas palavras. Absteve-se de revelar os detalhes.

O episódio veio à luz pela primeira vez no final de 1994, nas páginas do livro “A História Real, trama de uma sucessão”, escrito por mim e pelo repórter Gilberto Dimenstein. A obra nasceu de um projeto que visava contar os bastidores da sucessão presidencial em que FHC, cavalgando o Plano Real, prevaleceu sobre Lula pela primeira vez. Entre janeiro de 1994 e a abertura das urnas, fizemos 124 entrevistas. A maioria dos entrevistados concordou em falar sob a condição de que as informações só fossem publicadas depois das eleições presidenciais.

Conversei com o general Romildo Canhim (1933-2006) por mais de três horas. Nessa conversa, ele relatou o que sucedera nas pegadas da aventura carnavalesca de Itamar. Antes de procurar FHC, Canhim tivera um longo encontro com o então ministro do Exército, general Zenildo de Lucena. Ouvira um relato sobre a inquietação dos quarteis com as cenas do Sambódromo. Preocupados, os ministos militares haviam discutido a encrenca numa reunião sigilosa.

Pela Constituição, o presidente da República é o “comandante em chefe” das Forças Armadas. E os ministros fardados avaliavam que, depois que Itamar posara em público ao lado de uma genitália sem camuflagem, esse preceito constitucional parecia revogado. Para eles, a dignidade do cargo de presidente fora, por assim dizer, carnavalizada, trincando o princípio da autoridade, tão caro para um militar quanto o ar que ele respira. Os ministro discutiram a sério a hipótese de substituição do presidente.

Os militares mencionavam um “complicador”. Como se não bastasse o presidente ter sido fotografado de mãos dadas com uma modelo sem calças, o então ministro da Justiça, Maurício Corrêa, entornara no Sambódromo mais álcool do que seria recomendável para uma pessoa na sua posição. Até as fotos, estáticas, denunciavam um Corrêa trôpego, copo de uísque na mão. Tramou-se negociar com Itamar a sua renúncia, abrindo espaço para uma solução constitucional.

O plano esbarrou na recusa de FHC de permanecer no cargo sem Itamar e na má qualidade das opções de substituto. Percorrendo a linha sucessória, a eventual renúncia de Itamar levaria, nessa ordem, aos presidentes da Câmara e do Senado, deputado Inocêncio Oliveira e senador Humberto Lucena. Que os militares consideraram desqualificados. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Octávio Gallotti, terceiro na linha de sucessão, era visto como um personagem fraco, sem pulso. A turma do quepe concluiu que a República nunca estivera em mãos tão débeis. Avaliou-se que o resultado da troca não compensaria o desgaste de uma articulação para a saída de Itamar.

Entretando, os comandantes militares decidiram que Itamar precisava lhes fornecer algo que pudessem exibir à tropa. O escalpo de Maurício Corrêa pareceu-lhes uma compensação adequada. Enxergaram em FHC a melhor pessoa para informar ao presidente sobre a conveniência de levar à bandeja a cabeça do ministro da Justiça, seu velho amigo. Acionado pelo general Romildo Canhin, FHC encontrou-se com Itamar fora da agenda, na Base Aérea de Brasília.

Ao farejar o cheiro de queimado, Itamar não opôs resistência à substituição do titular da Justiça. Tinha inclusive o nome de um substituto no bolso do colete: Alexandre Dupeyrat, um advogado que o assessorava no Planalto. Informados, os militares serenaram os ânimos. Mandaram circular pelos quartéis a informação sobre a queda iminente de Maurício Corrêa. Do Planalto, vazaram informações a respeito da decisão do presidente de trocar o titular da Justiça.

Maurício Corrêa ainda teria uma sobrevida de dois meses na Justiça. Itamar recusou-se a demiti-lo com humilhação. Deixou o posto a pretexto de disputar o governo de Brasília —candidatura que seria inviabilizada posteriormente. O caso da calcinha, por folclórico, escorregou naturalmente das manchetes para o esquecimento. Hoje, frequenta as páginas de livros como uma passagem pitoresca de um Brasil que ainda não sabia que seus flagelos se tornariam mais superlativos do que o Collorgate, escândalo que levou o vice Itamar à poltrona de presidente. A crise brasileira apaixonou-se pela desinência ‘ão’. E foi plenamente correspondida no mensalão, no petrolão, na recessão… Tudo isso mais o mochilão da Odebrecht, nova unidade monetária do país da corrupção.
Blog do BG

25/03/2017

Raio cai sobre serra no CE e ocasiona 'bola de fogo'; veja vídeo!!!

 Raio cai sobre serra no CE e ocasiona 'bola de fogo'; veja vídeo!!!
Uma bola de fogo foi ocasionada em virtude do raio
Momento em que raio atingiu a serra (Foto: Reprodução)

Um popular registrou na tarde dessa quinta-feira, 23, na cidade de Quixadá, na região Central do Ceará, o exato momento em que um raio caiu em um dos Monólitos, causando grande explosão.

A pessoa, que supostamente estava recolhendo lixo no campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Campus de Quixadá-IFCE filmava o local quando foi surpreendido pelo raio. Uma bola de fogo foi ocasionada em virtude do raio.

No momento desse raio, a equipe da RC TV estava no açude Cedro quando ocorreu o sinistro. Ninguém foi atingido. No local, chovia bastante com relâmpagos e trovões, algo que vem sendo corriqueiros nos últimos dias em Quixadá.

Veja o vídeo

Evangelho do Dia: (Lc 1,26-38) - sábado, 25 de março de 2017!!!

 Evangelho do Dia: (Lc 1,26-38) - sábado, 25 de março de 2017!!!
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”

Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.

Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?” O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível”. Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

24/03/2017

Em seminário, Lula diz que Moro não é honesto como ele!!!


Em seminário, Lula diz que Moro não é honesto como ele!!!
Por Eduardo Simões, da Reuters
Lula: "Nem o Moro, nem o Dallagnol, nem nenhum deles, tem a honestidade e a lisura que eu tenho nos meus 70 anos de vida" (Nacho Doce/Reuters)
Lula é réu em três ações da Lava Jato, duas delas sob responsabilidade de Moro, a quem a defesa do ex-presidente acusa de parcialidade.
Por Eduardo Simões, da Reuters.

São Paulo – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira que lutará “até o fim” contra as acusações de que é alvo na Lava Jato, que investiga um bilionário esquema de corrupção na Petrobras, e pediu que a operação não destrua o Brasil.

Lula, apontado como provável candidato do PT à Presidência no ano que vem, afirmou em seminário do PT sobre a operação que o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância, e o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da operação, não são mais honestos que ele e defendeu a aprovação de uma lei sobre abuso de autoridade.

“Eu vou nessa briga até o fim. Eu não tenho negociata. Eles vão ter que provar”, disse o ex-presidente no encerramento do seminário “O que a Lava Jato fez pelo Brasil” organizado pelo PT em São Paulo nesta sexta.

“Pode ter certeza que eu vou brigar até as últimas consequências”, acrescentou. “Se eles querem pegar o Lula, arrumem motivos ou provas, mas não destruam o Brasil.”

Lula é réu em três ações da Lava Jato, duas delas sob responsabilidade de Moro, a quem a defesa do ex-presidente acusa de parcialidade e de ser suspeito para julgar o petista.

Em uma delas, Lula é acusado de receber propina da empreiteira OAS na forma de um apartamento triplex no Guarujá, no litoral de São Paulo, e no pagamento de armazenamento de seus bens pessoais.

Na outra, é acusado pelo Ministério Público Federal de receber vantagens indevidas da Odebrecht na forma de um terreno que seria destinado ao Instituto Lula e de um apartamento vizinho ao que mora em São Bernardo do Campo.

O terceiro processo em que o ex-presidente é réu na Lava Jato tramita na Justiça Federal do Distrito Federal e, nesse caso, Lula responde a acusação de tentar obstruir as investigações da operação.

“Nem o Moro, nem o Dallagnol, nem nenhum deles, tem a honestidade e a lisura que eu tenho nos meus 70 anos de vida”, disse Lula em seu discurso.

“A Lava Jato pode agir como quer, pode vazar para quem quiser. Nem no regime militar eu vi isso”, disse. “A gente não pode deixar de aprovar a lei de abuso de autoridade porque ninguém está acima da lei.”

Tramita no Congresso Nacional um projeto de lei que trata do assunto e que é alvo de críticas de Moro e de membros da força-tarefa da Lava Jato que veem na iniciativa legislativa uma tentativa de intimidar promotores e magistrados. Membros da força-tarefa já chegaram a anunciar que renunciariam se a medida fosse adotada.

Além da Lava Jato, Lula também é réu em outras duas ações penais.

Em uma delas, ligada à operação Zelotes, o ex-presidente é acusado de tráfico de influência na aprovação de uma medida provisória que teria beneficiado o setor automotivo e na decisão pelo governo brasileiro de comprar caças suecos.

Na outra, ligada à operação Janus, também é acusado de tráfico de influência, dessa vez para ajudar a Odebrecht a obter contratos em Angola.
EXAME